Porto Alegre

21ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quarta-feira, 21 de Fevereiro de 2018

  • 10/02/2018
  • 18:25
  • Atualização: 18:28

Trump lamenta as vidas "destroçadas" por acusações falsas

Declaração veio após dois de seus assessores na Casa Branca renunciarem por supostos casos de violência doméstica

Trump lamenta as vidas

Trump lamenta as vidas "destroçadas" por acusações falsas | Foto: Mandel Ngan / AFP / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, lamentou neste sábado as vidas "destroçadas" por acusações que poderiam ser falsas, depois que dois de seus assessores na Casa Branca renunciaram por supostos casos de violência doméstica. O governo Trump foi severamente criticado por sua torpeza no tratamento dessas denúncias, que surgem em meio a um debate nacional sobre comportamentos sexuais inapropriados e como eles devem ser tratados.

"As vidas de alguns estão sendo destroçadas e destruídas por uma mera acusação", tuitou Trump. "Algumas são verdadeiras e outras, falsas. Algumas são velhas e outras, novas. Não há recuperação para alguém acusado falsamente - a vida e a carreira desapareceram. Não há mais o devido processo?", continuou.

David Sorensen, escritor de discursos da Casa Branca, renunciou na sexta-feira depois de que sua esposa o acusou de violência doméstica. O porta-voz adjunto da presidência, Raj Shah, disse que a Casa Branca ficou sabendo na quinta-feira das acusações contra David Sorensen, "que confrontamos imediatamente", mas "negou as acusações e renunciou hoje", sexta-feira.

Na quarta-feira foi a vez do secretário do departamento pessoal, Rob Porter, renunciar, após as denúncias de abusos contra duas ex-esposas se tornarem públicas. Trump não só acreditou na versão de Porter, como agradeceu por "o ótimo trabalho" na Casa Branca e desejou-lhe "uma carreira maravilhosa" no futuro.

O presidente apoiou outros diante de denúncias de abuso ou assédio, como Roy Moore, o republicano do Alabama que perdeu a corrida ao Senado. Trump também negou sua culpa em pelo menos 19 casos em que foi acusado de abuso sexual ou assédio.