Correio do Povo | Notícias | Confusão termina após duas horas em Porto Alegre

Porto Alegre

21ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, terça-feira, 21 de Maio de 2019

  • 27/06/2013
  • 22:48
  • Atualização: 09:11

Confusão termina após duas horas em Porto Alegre

Pela quinta vez em 14 dias, protesto começa pacífico, mas acaba gerando tumulto

  • Comentários
  • Correio do Povo

Depois de viver duas horas de tensão, o clima em Porto Alegre voltou a se acalmar por volta das 22h30min desta quinta-feira. As linhas de ônibus voltaram a circular na região central da Capital neste horário, quando havia pelo menos três pessoas feridas – dois policiais e uma adolescente. Pela quinta vez em duas semanas, a manifestação pacífica terminou em confronto, desta vez iniciado na Praça da Matriz, que chegou a ser ocupada por 5 mil pessoas.

Mais uma vez, um rastro de vandalismo e destruição varreu algumas ruas do Centro e da Cidade Baixa. A Brigada Militar (BM) voltou a disparar bombas de gás lacrimogêneo, apesar de não reagir a provocações iniciais ainda na frente do Palácio Piratini – atitude que foi parabenizada pelo governador Tarso Genro.

Até as 23h20min, oito pessoas haviam sido detidas e um menor apreendido. Dois policiais se feriram – um ao cair da moto e outro levou uma pedrada na cabeça. Uma adolescente deu entrada no Hospital de Pronto Socorro após ter passado mal quando inalou gás lacrimogêneo.

Confusão começou após reunião com governador

A confusão e as cenas de violência iniciaram por volta das 20h30min desta quinta-feira, minutos depois de um grupo de manifestantes apresentar uma pauta de reivindicações ao governador no Palácio Piratini. “Temos a informação que há a presença de grupos neonazistas que estão aí para atrapalhar o movimento”, afirmou Tarso.

Minutos depois da entrevista de Tarso, o confronto eclodiu. Centenas de pessoas se dispersaram por ruas do Centro e da Cidade Baixa. Ainda no Centro, no viaduto da avenida Borges de Medeiros, um conflito com a BM foi mais forte. Em seguida, grupos de vândalos foram à Cidade Baixa e causaram um rastro de vandalismo nas ruas do bairro e na avenida João Pessoa. Carros foram quebrados e outros tiveram objetos furtados.

Policial militar foi atingido por uma pedra na cabeça / Foto: Ricardo Giusti

Moradores se revoltam

Houve reação da população. Na Travessa do Carmo e na João Alfredo, um grupo de cerca de 20 moradores desceu à rua armados com paus e facas e expulsaram vândalos. Mais tarde, quando a Brigada Militar chegou, eles apontaram o caminho da fuga. Na segunda-feira, os comerciantes da João Alfredo tiveram prejuízos com a ação de baderneiros.

O Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU) se comprometeu em começar às 23h30min a operação de limpeza da cidade. Diversos contêineres foram virados e dois foram queimados, de acordo com o diretor do órgão, André Carús. O departamento retirou 90 contêineres durante o dia.

Com informações da Rádio Guaíba

Bookmark and Share