Porto Alegre

11ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, segunda-feira, 23 de Outubro de 2017

  • 08/05/2013
  • 11:49
  • Atualização: 19:18

Empresa gaúcha é interditada e proibida de vender laticínios

Sindicato do ramo condenou adulteração do leite

  • Comentários
  • Correio do Povo e Rádio Guaíba

O Ministério Público (MP) do Estado informou no final da manhã desta quarta-feira que a empresa Latvida foi interditada e proibida de comercializar qualquer tipo de produto. A ação ocorreu durante a Operação Leite Compensado, deflagrada em três municípios do Rio Grande do Sul: Ibirubá, Guaporé, Horizontina. Oito pessoas foram presas, entre funcionários e empresários do ramo de laticínios. 

• Procon orienta consumidores sobre leite adulterado

A interdição da Latvida, conforme o MP, ocorreu devido ao descumprimento de decisão judicial que determinou a não comercialização, por parte da empresa, dos leites UHT a partir de 1º de abril deste ano. De acordo com Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), foram detectadas irregularidades em leites das marcas Bom Gosto, Italac, Latvida e Mumu.

As empresas investigadas teriam transportado aproximadamente 100 milhões de litros de leite entre abril de 2012 e maio de 2013. Desse montante, estima-se que um milhão de quilos de ureia, contendo formol, tenham sido adicionados. Com o aumento do volume do leite transportado, os "leiteiros" lucravam 10% a mais que os 7% já pagos sobre o preço do leite cru, em média R$ 0,95 por litro.

Em nota, o Sindicato da Indústria de Laticínios e Produtos Derivados do Estado do Rio Grande do Sul (Sindilat/RS) afirma contribuir com as investigações e confirma ter retirado do comércio os produtos que foram identificados com adulteração. "É dado tranquilizador para a população o fato de que todos os lotes identificados com problema foram retirados do mercado e não se encontram mais à disposição do consumidor. Os estoques disponíveis no varejo estão aptos para o consumo humano", diz o texto.

Confira a nota na íntegra:

"Nota do Sindilat/RS

O Sindilat/RS (Sindicato da Indústria de Laticínios e Produtos Derivados do Estado do Rio Grande do Sul) condena a adulteração de leite sob investigação do Ministério da Agricultura e do Ministério Público.

Conforme a Nota Técnica 003/2012-DDA/SFA-RS do Ministério da Agricultura, investigações realizadas pelas Promotorias de Justiça Especializada Criminal e de Defesa do Consumidor, em conjunto com o MAPA, cinco empresas de transporte de leite adulteraram o leite cru entregue para a indústria.

O sindicato, cujas indústrias associadas foram prejudicadas pela adulteração, acompanha desde o início o trabalho realizado há meses pelo Ministério da Agricultura e Ministério Público, mantido sob sigilo pelas autoridades em razão da natureza da investigação.

É dado tranquilizador para a população o fato de que todos os lotes identificados com problema foram retirados do mercado e não se encontram mais à disposição do consumidor. Os estoques disponíveis no varejo estão aptos para o consumo humano.

A indústria reafirma seu empenho na obtenção e distribuição de leite e derivados de alta qualidade e de consumo seguro, com a realização de análise do produto recebido dos produtores, importantes parceiros no elo da cadeia produtiva.

O Sindilat/RS confia na apuração dos fatos e na responsabilização dos culpados pela fraude investigada pelo Ministério da Agricultura e pelo Ministério Público.

Porto Alegre, 08 de maio de 2013"

Fonte: Mapa e MP/RS

Bookmark and Share